terça-feira, abril 19, 2005

ANIVERSÁRIO

Se Duarte Pacheco fosse vivo faria hoje 105 anos. Estaria num qualquer Lar da terceira idade e não teria muito provavelmente a notoriedade nem a aurea que as circunstâncias da sua morte lhe deram. Este exercício ficcional não retira um mílimetro à singularidade da sua personalidade nem diminui a sua obra. É sem dúvida uma figura notável da história louletana e nacional. Morreu no auge da sua carreira e isso, salvaguardando a sua vasta inteligência e o seu audicioso espírito empreendedor, contribuiu para a criação do mito.