domingo, abril 17, 2005

Monumento Duarte Pacheco

Assinala-se amanhã, 18 de Abril, o Dia Internacional dos Monumentos e Sítios.
Por obrigação de ofício vou conduzir (não sei se é bem este o termo) uma visita guiada ao Monumento que foi erigido em Loulé, em memória do Ministro Duarte Pacheco (1900-1943). O Monumento foi inaugurado em 16 de Novembro de 1953, com a presença do Presidente do Conselho António Oliveira Salazar. O autor do projecto foi Cristino da Silva (1896-1976) , considerado o Arquitecto do Regime (recomendo o livro Luís Cristino da Silva e a Arquitectura Moderna em Portugal de João de Sousa Rodolfo -publicações dom quixote) e contou com a colaboração graciosa dos melhores escultores da época : Leopoldo de Almeida, Barata Feyo, Henrique Moreira, Álvaro Breé, João Fragoso Martins Correia, Raul Xavier, Anjos Teixeira, António Duarte e Euclides Vaz.
A visita é ás dez horas no local e espero que apareça gente interessada.
Prevejo alguma polémica sobre o tema que já não é novo e que se centra basicamente na questão se deve ou não voltar a colocar a palavra SALAZAR que estava esculpida na pedra do muro de suporte para identificar o autor da frase que lá está :«Uma vida vivida velozmente vivida e inteiramente consagrada ao progresso pátrio» e que foi retirada em 1974.

5 Comments:

At 10:14 da tarde, Blogger LG said...

A frase correcta é « UMA VIDA VELOZMENTE VIVIDA E INTEIRAMENTE CONSAGRADA AO PROGRESSO PÁTRIO», e depois tinha um sinal de igual seguido da palavra SALAZAR

 
At 10:14 da tarde, Blogger LG said...

Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

 
At 12:31 da manhã, Blogger HFR said...

Tão significativo é a palavra lá ter estado, como ter sido apagada na voragem do tempo. Parece-me que a melhor posição é exactamente respeitar os dois momentos históricos.

 
At 11:38 da manhã, Blogger LG said...

Helder, concordo contigo.Se assim não fosse tinhamos que mandar reedificar as Mesquitas que existiram no Algarve e que foram destruidas.
Já agora a data de nascimento de Duarte Pacheco que consta no Monumento está errada.
«A certidão que estabelece a minha idade oficial envelhece-me de um ano.Reza ela eu ter nascido em 1899 quando, na verdade, nasci em 1900.» Palavras de Duarte Pacheco

 
At 6:35 da tarde, Blogger HFR said...

E acreditamos que ele saberia o que disse. E ter tido menos um ano, ainda o engrandece, ou não?

 

Enviar um comentário

<< Home