quinta-feira, junho 16, 2005

CARNAVAL DE LOULÉ

No próximo ano, 2006, o Carnaval de Loulé, cartaz turístico do Algarve em época baixa, comemora o seu primeiro centenário. Ao longo da sua existência, os festejos já assumiram diversos figurinos, embora a sua matriz identitária não se tenha alterado muito. O que se alterou bastante foi a participação directa da população. No início eram os particulares que faziam os carros alegóricos, em ambiente de despique e secretismo, participavam as juntas de freguesia , a animação era feita por grupos da terra (ás vezes vinha um grupo ou outro de uma zona qualquer do País) , havia bailes muito animados e as pessoas brincavam alegremente durante três dias, numa atmosfera de ordem e civismo.Hoje as pessoas vão ver/assistir a um espectáculo.
Pergunta-se:
1. O modelo actual é o correcto?
2.Devia-se voltar a envolver as freguesias/ colectividades/ associações?
3.A animação durante o cortejo não poderia ser feita pela comunidade escolar do Concelho?
4.O que é que é preciso fazer para que as pessoas participem activamente nos festejos?
5.Como é que deveria ser comemorado o Centenário do Carnaval de Loulé?

2 Comments:

At 1:36 da tarde, Blogger HFR said...

Coloquei no "Contrasenso" um post com um link para um texto meu sobre o assunto.

 
At 11:27 da manhã, Blogger João Scottex said...

O que é necessário é o contacto peermanente das instituições com a população, criando inclusivamente uma Comissão de Organização, que estimule as forças vivas da sociedade louletana a participar (onde podem estar incluídas as juntas, as escolas, clubes , etc), podendo inclusivamente haver concursos dos diversos tipos de partipações (carros, grupos, máscaras, etc). Depois é só esperar que o tempo o transforme a participação da população numa tradição.
Em suma, o que tem que acabar é a atitude paternalista e despesista da CML, na concepção dos 100 anos do Carnaval. E, também o protagonismo de algumas pessoas, que se julgam "donas" do Carnaval.

 

Enviar um comentário

<< Home