quinta-feira, julho 28, 2005

PROFISSÕES DESAPARECIDAS

« Grande parte da sua vida de rapaz solteiro foi dedicada a mandador de bailes, estendendo essa activdade a S. Brás de Alportel, Salir e Alte, Tor, onde se demorava semanas inteiras, com reportório de sua autoria. Foi assim que uma vez, encontrando-se em Clareanes com o exímio mandador Francisco Guerreiro Pereira, daquela localidade, lhe tomou o comando logo no primeiro verso em que o Pereira ficou:
´´À luz daquela candeia``
À luz daquela candeia,
Se falou meu casamento
Ó candeia, não te apagues,
Que eu quero-te mijar dentro! »
Da biografia do Poeta popular de Querença Francisco Martins Farias (1861 - 1930).

MUITO MAIS QUE PRAIA

Ondeia, assume, rememora,
abriga a espuma
em coração disperso.
Uma dorida aberta
afirma e cede à sementeira cedo.
Perfaz, tacteia, roça
teu corpo ao corpo dela,
da já chorada inda que viva morte.

Pedro Tamen

quarta-feira, julho 27, 2005

IMPERCEPTIBILIDADE CULTURAL

Dizia uma pessoa que muito admiro, sábia por natureza, que todos vamos transformando a cultura por adição, por selecção, anonimamente, impessoalmente, quase sem dar por isso.

terça-feira, julho 26, 2005

ENGANOS

O sol julga que me engana,
Ele é que é enganado,
Quando nasce, estou eu na cama,
Quando se põe, estou eu deitado.

Quadra Popular

Quem prende a água que corre
É por si próprio enganado.
O ribeirinho não morre,
Vai correr para outro lado.

António Aleixo

segunda-feira, julho 25, 2005

DIÁLOGO POÉTICO

-- É a primeira vez que vem ao Algarve? - perguntou-me.
-- A primeira.
-- Que lhe parece?
-- Digno de poetas.
--E o que me diz a este céu?
-- Admirável! - respondi-lhe.
Estava , na verdade, um dia lindo e a atmosfera , ao mesmo tempo diáfana e esplendorosa, cintilava.
-- Eu só não comprendo uma coisa .- observou-me ele então, meio risonho, meio sério -- É que, sob este céu, se ande de chapéu, jaquetão e botas.Devia andar-se em cabelo, e de túnica e sandálias, como os velhos gregos sob o céu da Hélada!
Diálogo entre o Poeta Altense Cândido Guerreiro e o Beirão Dr Luís de Oliveira Guimarâes, num encontro casual no Largo da Sé em Faro, provavelmente nos anos trinta do sec XX

sexta-feira, julho 22, 2005

ESCLARECIMENTO

Estranharão algumas pessoas amigas eu ter deixado de publicar as Capas Algarvias e também outras fotos. Acontece porém que estou refém de um problema informático que é mais pderoso do que a minha pessoa. Julgo que o problema deverá estar solucionado brevemente .Comprometo-me solenemente logo que tal aconteça a retomar o fio da história.

quinta-feira, julho 21, 2005

Impedimentos

Gostava de assistir amanhã ao Trio de Manuel Beleza e no Sábado ao Philip Catherine quartet,mas não posso.Gostava de assistir amanhã à apresentação do livro «ALGARVE VISTO DO CÉU» pela Prof.Doutora Carminda Cavaco, mas não posso.É que, como já vem sendo hábito, de há uns anos a esta parte, vou participar no Algarve Classic Cars 2005.

NOVAS PUBLICAÇÕES

Quatro livros novos sobre o Algarve vieram enriqucer hoje o meu espólio sobre a Região e por consequência o espólio da Fundação Manuel Viegas Guerreiro. A saber :
1. Al- Ulya nº10 - Revista do Arquivo Histórico Municipal de Loulé;
2.Algarve todo o mar- Colectânea de poesia- D. Quixote;
3.As mulheres, a violência e a justiça no Algarve de oitocentos. Aurízia Anica. Edições Colibri;
4.Uma família Algarvia - Quadros de um viver antigo. José Matos Guita. Editora Ausência.

quarta-feira, julho 20, 2005

LA MUJER PORTUGUESA

En un pueblo, el espiritu masculino es reflejo e instrumento del alma femenina. La mujer con el corazón y la mirada manda; y el hombre con el cerebro y el brazo ejecuta. En el heroísmo de una nación, la fuerza primera e inspiradora proviene siempre de un corazón femenino.La mujer Portuguesa no sólo ha inspirado el heroísmo de les hombres; ella les ha acompañado y les ha igualado muy frecuentemente en las luchas heroicas de su vida.
Estas palavras foram retiradas de uma conferência que o Dr Habib Estéfano proferiu em Santiago do Chile, em 1928. Pensava-se assim nesse tempo.

A SAGRAÇÃO DA PRIMAVERA

Esta noite não posso perder esta Sagração da Primavera da Companhia Heddy Maalem. A expectativa é alta para esta primavera negra e escaldante. Aproveito para inaugurar o novo Teatro Municipal de Faro.

terça-feira, julho 19, 2005

Reconhecimento póstumo

Nunca o meu colega Charles Bonnet imaginou que em Loulé se iria falar tanto dele, apesar de apenas aqui ter vivido sete anos. Digo colega, porque ele era engenheiro civil como eu, ele na especialidade de geologia e mineralogia e eu nestas coisas da cultura. Ele não era Botânico, no sentido académico do termo, gostava de jardins e sobretudo gostava de Loulé . «C'est la ville de l'Algarve la plus agréable dans laquelle on puisse demeurer».

CRISE

Um sinal inequívoco da crise real é um passeio pelo litoral do Algarve e constatar que os Restaurantes,Snack bares e cafés, normalmente cheios nesta época do ano, encontram-se quase vazios.

segunda-feira, julho 18, 2005

COISAS ATRASADAS

Durante a última semana, em virtude da minha ausência destas lides, muitos assuntos que gostaria de ter comentado, pairaram algum tempo no meu espaço cerebral e depois esvaíram -se, isto é perderam actualidade. Factos políticos, esses abundam mas por norma e salvo raríssimas excepções não os comento. Gostaria de ter falado do Nobel da Literatura que faleceu, do aniversário da morte de Vinicius de Morais, do 11º festival internacional de jazz de Loulé, de algumas publicações que sairam etc. etc.
Ah! mas não posso deixar de felicitar o meu amigo Hélder Nunes pelo nascimento anunciado do Barlavento Online.

REGRESSO

Regressei Ponto Justificação Dois Pontos Razões Ponderosas e Interesse Público Ponto

quinta-feira, julho 07, 2005

VIDA CONTEMPORÂNEA

Olhando em torno de si ou prescrutando a própria intimidade do seu ser, o homem só depara com dúvidas e inquietações. A interrogação fundamental, aquela que se desenha no primeiro plano do panorama contemporâneo, aquela donde decorrem, como corolários lógicos, todas as outras interrogações, é esta : - qual deve ser para as gerações actuais o conceito de vida ?
(palavras sábias escritas em 1934 por Cunha Leal na apresentação da sua Revista «Vida Contemporânea»)

Atentados em londres

Várias explosões em Londres nas estações de metrololitano, praças e autocarros, poucas horas depois de esta cidade ter sido escolhida como cidade anfitriã dos Jogos Olímpicos de 2012 e no momento em que decorre a cimeira do G-8 em Gleneagles, Escócia. Tudo leva a crer que se trata de um atentado terrorista e, embora não haja informações oficiais, deve haver muitas vítimas. A política externa de Londres, muito colada à dos Estados Unidos, indiciava clararamente que mais cedo ou mais tarde haveria actos de violência, com maior ou menor envergadura, com objectivos políticos de uma clareza luminosa, em grande medida devida à questão do Iraque.
Londres tem andado a brincar com o fogo ...

quarta-feira, julho 06, 2005

MARGARIDA

O Poeta Cândido Guerreiro era licenciado em Direito. Formou-se em Coimbra, com trinta e cinco anos de idade, e no regresso à sua terra montou banca de advogado em Loulé. Há um episódio poético passado em pleno Tribunal de Loulé, envolvendo outro grande Poeta/Advogado, João Lúcio de Olhão que vou aqui sumariamente registar. Durante um julgamento Cândido Guerreiro ia escrevendo numa folha de papel: Margarida, Margarida .... João Lúcio que estava sentado ao seu lado reparou naquilo e escreveu:

Margarida

Cândido, que nome é este
Que boia na tua vida?
Ó Fausto de barba negra,
Quem é esta Margarida?
A quem pertence este nome
Que tu poluis nestas bancas?
A que sonho todo aromas
E cortado em curvas brancas?
É de algum huri ardente
Mordida de predarias,
Atravessando os desertos,
Em caravanas sombrias,
Para ir escutar a lenta
Murmuração do luar
Nas solidões azuladas
Do mar?!
É de alguma favorita
Do teu harém ideal,
Ó meu sultão desterrado,
Fingindo-se advogado,
Porém sultão, afinal ?!

Cândido Guerreiro leu o poema e de imediato respondeu:

Margarida

Este nome é da mulher
Que brilha na minha vida,
Como sobre a noite negra
Brilha uma estrela perdida.
Com este nome de lenda
Eu enobreço estas bancas,
Enchendo-as de sonho e aromas
E a graça das rosas brancas.
É, sim, de uma huri ardente
Que é linda sem pedrarias...
Ela guia no deserto
As caravanas sombrias
Dos meus desejos, mais altos
Que as regiões do luar,
E mais inquietos que as ondas
Do mar.
Ela é mais que favorita,
É a sultana ideal,
E eu seu escravo, exilado,
Fingindo-se advogado,
Porém escravo, afinal ...

Conclusão: Esta Margarida era afinal Margarida de Sousa Costa com quem o Poeta Cândido Guerreiro viria a casar pouco tempo depois.

terça-feira, julho 05, 2005


QUEREN�A, UM CENARIO PARADISIACO, ABENCOADO POR DEUS.E AQUI QUE VAI DECORRER O ENCONTRO DOS BLOGUISTAS �ALGARVIOS�. Posted by Picasa

A TANGA E O DÉFICE

Tal como o governo de Durão Barroso usou e abusou do discurso da tanga, com os resultados que são conhecidos, este governo está enveredar por um caminho semelhante com o discurso do défice. Todas as medidas, sobretudo as mais penalizadoras para o povo, são explicadas à luz do défice.Vamos ver se o tiro não sai pela culatra.

segunda-feira, julho 04, 2005


CAPAS ALGARVIAS. BERNARDO MARQUES NA CAPA DA REVISTA CIVILISACAO N.1 Posted by Picasa

FESTIVAL MED

Há matérias que eu tenho a maior das reservas em falar sobre elas, sobretudo quando, como é o caso, tenho um pequenino envolvimento na sua realização.Refiro-me ao Festival Med que ontem terminou no Centro Histórico de Loulé e que, do meu ponto de vista e usando a máxima imparcialidade, foi uma iniciativa muito interessante e com pernas para andar.Foi para mim extremamente gratificante (posso afirmar com segurança que em média passo cerca de dez horas diárias no Centro Histórico) ver milhares de pessoas percorrerem estas ruas estreitas, entrarem na Galeria de Arte e visitarem o Museu de Arqueologia. Isto é também, aquilo que eu chamo, humanizar o centro histórico.

sexta-feira, julho 01, 2005


CAPAS ALGARVIAS. ROBERTO NOBRE PARA O BERNARDO PASSOS. Posted by Picasa