quarta-feira, setembro 14, 2005

O INFANTE

Ó meu Infante belo, vai chover !
Deixe de olhar o mar que pode arrefecer!
Basta de tantos conselhos:
Já oiço ao longe a canção
Dos soldados que chegam amanhã
De manhã na embarcação!

Tem a cara moída, o olhar pisado,
A Pátria veio vê-lo e nem a viu!
Chorou de o ver tão pálido e partiu
Dizendo adeus à «Vila do Infante»!
Depois parou à porta e disse : É um navegante
Na loucura divina de mandar!
Voltou-se, novamente, e a soluçar
Disse : Coitado! Há-de morrer no mar!

António Botto

1 Comments:

At 11:54 da manhã, Blogger HFR said...

Como se sabe o Henrique era o mais feio dos irmãos, para além de outras questões muito bem retratadas pela peça do Helder Costa. Portanto o lindo poema do Botto cai que nem uma luva ao mártir irmão Fernando que consta nunca esteve na Raposeira.

 

Enviar um comentário

<< Home